ACIL Jovem é Inovação Inclusão Capacitação Experiências ideias

Acompanhe nossas redes sociais   |

Nosso Blog

Entidades se unem para reduzir impacto social do coronavírus

Compartilhe nas redes sociais

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

O atual momento requer cautela, serenidade e, acima de tudo, união. União essa que nos move, por meio do movimento associativista. E foi pautada nesse propósito que as entidades: Associação Empresarial de Criciúma (Acic), Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) Criciúma, Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc) Regional Sul, Fórum das Entidades de Criciúma (Forcri), e o Sebrae Regional Sul criaram um comitê executivo para coordenar ações que minimizem os impactos sociais do coronavírus. A Somarsul (Lojas Maçônicas), Lions e Rotary Clubes de Criciúma, entidades integrantes do Forcri, também estão unidas nesta iniciativa.

Os esforços imediatos serão direcionados para angariar cestas básicas às pessoas mais atingidas neste momento de crise, levando alimentos às famílias mais vulneráveis, e para a aquisição de equipamentos de proteção individual (EPIs) aos profissionais de saúde, bem como, kits de análise para identificação do novo coronavírus.

O movimento pretende fomentar, ainda, ações de orientação e auxílio aos micros e pequenos empresários da região, relacionadas a empréstimos bancários e práticas trabalhistas e tributárias. Uma cartilha está sendo elaborada com essas abordagens, direcionada ao apoio das demandas desses empreendedores.

“A maior arma neste momento tão difícil será a solidariedade. Este é o nosso grande objetivo com este movimento iniciado pelas entidades. Teremos um divisor de águas antes e depois dessa pandemia, onde passaremos a dar valor e importância para coisas que até então não dávamos. Toda a sociedade aprenderá muito com tudo isso. Queremos ser exemplo para que outras ações neste sentido sejam replicadas em toda a região”, destaca o presidente do Conselho Superior da Acic, César Smielevski, também coordenador do comitê executivo das entidades.

Smielevski ressalta ainda a responsabilidade das entidades diante desta crise. “Precisamos apoiar a comunidade, transmitir racionalidade e gerar uma agenda positiva em prol do coletivo”, pontua.

Mais Lidas